Instituto Federal de Pernambuco vai divulgar edital do Vestibular 2017 no dia 04 de outubro

ifpeFoi adiada para o dia 04 de outubro a data de divulgação do edital do Vestibular 2017 do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), para cursos técnicos e superiores. Todos os detalhes sobre o processo seletivo serão anunciados em coletiva de imprensa. Na segunda semana de outubro serão abertas as inscrições.
A Comissão de Vestibulares e Concursos (Cvest) do IFPE já orientou que os candidatos devem ter em mãos o RG e o CPF, documentos indispensáveis para a inscrição. “Quem ainda não possui um desses documentos deve providenciar o mais rápido possível. Todos os anos recebemos casos de candidatos que deixam para tirar o documento em cima da hora e alguns terminam se prejudicando. Por isso, estamos fazendo esse alerta”, afirmou a presidente da Cvest, Thamiris Queiroz.
Uma das novidades deste ano é a criação do curso superior em Engenharia Elétrica, que terá 80 vagas e será oferecido nos campi Garanhuns e Pesqueira. Já o Campus Recife passará a ofertar também o curso de Engenharia Mecânica com 35 vagas. Outras informações podem ser obtidas no site do instituto (www.ifpe.edu.br).

Petrolina: Garoto de 15 anos é encontrado morto após ser detido por agressão

cadeiaPublicaSerra
Uma marmita contendo maconha foi apreendida por policiais militares no início da noite deste domingo (25), dentro de uma marmita contendo arroz, na Cadeia Pública de Serra Talhada. 
Segundo informações do site Farol de Notícias colhidas com a Polícia Militar, a marmita foi entregue por um desconhecido e os 50 gramas de maconha foram encontrados após a revista. Outros casos de tentativa de inserção de drogas na cadeia chamaram a atenção, como dentro de cascas de ovo e em frasco de xampu.

Colômbia assina acordo de paz com as Farc após 52 anos de guerra

Com uma cerimônia solene, a Colômbia assinará nesta segunda-feira na cidade de Cartagena um histórico acordo de paz com a guerrilha das Farc, para acabar com um conflito de mais de meio século.
O presidente Juan Manuel Santos e o principal líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Rodrigo Londoño, mais conhecido por seus nomes de guerra Timoleón Jiménez e Timochenko, assinarão o pacto anunciado em 24 de agosto, após quase quatro anos de negociações em Cuba.
“Daqui abriremos a porta do amanhã! A Colômbia cheia de esperança está pronta para para a assinatura do #AcordoDePaz e construirá um novo país”, escreveu no Twitter o presidente, horas antes da cerimônia, prevista para as 17H00 locais (19H00 de Brasília) no Pátio das Bandeiras do centro de convenções de “La Heroica”, como é conhecida esta cidade, considerada patrimônio da humanidade.
Quase 2.500 pessoas vestidas de branco de acordo com o protocolo, incluindo líderes mundiais e 250 vítimas do conflito, acompanharão os discursos daqueles que, inimigos por décadas, conseguiram o que parecia impossível: acabar com a violência fratricida entre guerrilhas, paramilitares e agentes do Estado que deixou 260.000 mortos, 45.000 desaparecidos e 6,9 milhões de deslocados em 52 anos.
A cerimônia, que deve durar 70 minutos e será transmitida ao vivo pela televisão, terá a presença de 15 chefes de Estado, entre eles o cubano Raúl Castro, anfitrião das conversações de paz, que também foram mediadas por Noruega, Venezuela e Chile.
Outras presenças ilustres confirmadas incluem o rei emérito da Espanha, Juan Carlos, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o chefe da diplomacia americana, John Kerry, e vários representantes de organismos internacionais.
“A Colômbia é uma luz para o mundo”, destacou a chanceler María Ángela Holguín ao agradecer o apoio da comunidade internacional ao processo de paz.
O acordo de paz, um texto de 297 páginas que essencialmente busca mudar “balas por votos”, promovendo o desarmamento da guerrilha e sua transição para a vida política legal, será assinado com um “balígrafo”, um bolígrafo (caneta esferográfica) construído com balas do conflito armado.
“As balas escreveram nosso passado. A educação, nosso futuro”, afirma uma inscrição na caneta. Os ilustres visitantes receberão uma réplica do objeto.
A jornada começará às 08H00 locais (10H00 de Brasília) com uma homenagem a militares e policiais por seu “esforço em favor da paz”, segundo a presidência.
Ao meio-dia (14H00 de Brasília), na Igreja de San Pedro Claver, o cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano e enviado do papa Francisco para a assinatura do fim do conflito com as Farc, vai presidir uma liturgia com “uma oração pela reconciliação de todos os colombianos”.
“É um acordo muito completo, e implementar o que foi negociado em reforma agrária, luta contra o narcotráfico, inclusão dos ex-guerrilheiros em processos políticos, e aplicação da justiça transicional, vai exigir muita liderança”, afirmou à AFP o chanceler norueguês, Borge Brende.
O pacto foi ratificado na sexta-feira passada pela Farc, que nasceram de uma revolta camponesa em 1964 e atualmente contam com 7.000 combatentes, após uma inédita conferência nacional guerrilheira autorizada pelo governo e aberta à imprensa em El Diamante, área remota do sul do país.
“Acabou a guerra, vamos todos construir a paz”, escreveu Timochenko no Twitter.
Para entrar em vigor, o acordo, muito criticado pela oposição liderada pelo ex-presidente Álvaro Uribe, deve ser aprovado em um plebiscito convocado para 2 de outubro. As pesquisas mais recentes indicam a vitória do ‘Sim’.
A paz na Colômbia não estará completa, no entanto, enquanto permanecer ativo o Exército de Libertação Nacional (ELN), segunda maior guerrilha do país, também criada em 1964.
O ELN e o governo anunciaram em março a intenção de criar uma mesa formal de diálogos similar a das Farc, mas isto ainda não foi concretizado ante a reticência do grupo armado a abandonar a prática do sequestro, condição imposta por Santos para avançar nas negociações.
No domingo, o ELN anunciou a suspensão das ações ofensivas nos próximos dias para “facilitar a participação cidadã” no plebiscito.
AFP

Câmara Técnica da Revitalização do São Francisco tem reunião nesta segunda (26)


A Câmara Técnica (CT) do Programa da Revitalização do Rio São Francisco, que está sendo planejado pelo governo federal, terá nova reunião nesta segunda-feira, (26), no Ministério da Integração Nacional, em Brasília (DF). O vice-presidente e o secretário do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Maciel Oliveira e Lessandro Gabriel, respectivamente, participarão da reunião, já que o colegiado tem assento, tanto na CT quanto no Comitê Gestor da Revitalização.
Até a primeira reunião do Comitê Gestor, marcada para novembro, os subgrupos de trabalho têm se reunido quase que semanalmente. Como a Câmara Técnica atua como secretaria, cabe a ela planejar todas as ações e definir as linhas de atuação do programa. A expectativa é de que os governos dos estados inseridos na bacia do São Francisco participem da reunião através de seus representantes para conhecer os eixos de ação que serão desenvolvidos na revitalização.
O encontro está marcado para às 15h, no gabinete do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, que sempre tem participado das reuniões de planejamento. O governo federal lançou o programa Novo Chico, com vistas a executar obras de recuperação e preservação do São Francisco, através de ações em curto, médio e longo prazo, cujo investimento total previsto é de quase R$ 1 bilhão. (CBHSF).

FACEPE e ANR lançam edital nas áreas de Ciências Humanas e Sociais e Tecnologia da Informação e Comunicação

Marca-FACEPE
A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE) e a Agence Nationale de la Recherche convidam os interessados para apresentarem propostas de pesquisa nas áreas temáticas de Ciências humanas e Sociais e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no edital ANR 2017. A submissão deve ser realizada até o dia 27 de outubro de 2016.
O edital tem o intuito de apoiar a cooperação científica internacional em áreas temáticas específicas para a edição de 2017. As propostas podem ser articuladas entre cientistas do Estado de São Paulo, submetidas no âmbito do acordo FAPESP-ANR. A seleção pública para a execução dos projetos são através da cooperação de pesquisadores vinculados a instituições científicas e tecnologias do estado com pesquisadores de instituições francesas. As áreas foram previstas no “Generic Call for Proposals” da ANR (www.agence-nationalerecherche.fr/en/funding-opportunities/current-calls/aap-en/generic-call-for-proposals-2017/)
Os interessados deverão apresentar uma pré-proposta de projeto de pesquisa cooperativa, redigida em inglês e encaminhada exclusivamente à ANR (pelo coordenador francês), até a data indicada no cronograma em atendimento à chamada “Generic Call for Proposals” (www.agence-nationale-recherche.fr/en/fundingopportunities/current-calls/aap-en/generic-call-for-proposals-2017/). Os coordenadores cujas pré-propostas tenham sido selecionadas (Resultado Parcial) devem submeter, simultaneamente à FACEPE (AgilFAP, http://agil.facepe.br) e à ANR, uma proposta detalhada do projeto de pesquisa cooperativa. As propostas deverão ser encaminhadas à FACEPE pelo coordenador em Pernambuco e à ANR pelo coordenador da equipe francesa, atendendo às datas indicadas. O proponente receberá, após o envio, um recibo eletrônico de protocolo da sua proposta, que servirá como comprovante da transmissão.
Os resultados das propostas estão previstos para serem divulgados a partir do dia 14 de julho de 2017 na página da FACEPE e da ANR. Todos os proponentes do presente edital tomarão conhecimento do parecer final sobre sua proposta por intermédio de correspondência eletrônica, preservada a identificação dos consultores ad hoc.

TSE considera a hipótese de poupar Temer

Josias de Souza
A equipe técnica do Tribunal Superior Eleitoral julga ter reunido provas suficientes para sustentar que o financiamento da campanha à reeleição de Dilma Rousseff e Michel Temer incluiu verbas desviadas do esquema criminoso da Petrobras. São evidências documentais e testemunhais suficientes para justificar a cassação da chapa que prevaleceu em 2014. Como Dilma já foi deposta, o mandato que está em jogo é o de Temer. E já começam a soar no TSE avaliações sobre a conveniência de poupar o substituto constitucional de Dilma.
blog ouviu dois dos sete ministros que compõem o plenário do TSE. Um deles disse que o tribunal não pode ficar alheio à conjuntura. Acrescentou que, ao julgar o processo, os ministros “talvez tenham que fazer um juízo atenuatório, levando em conta as consequências” de uma interrupção da Presidência de Temer. O outro ministro declarou que “a eventual preservação do mandato do presidente substituto não seria nenhuma aberração jurídica.”

Faustão critica gestão de Michel Temer ao vivo

O Estado de S.Paulo
Durante o "Domingão do Faustão" deste domingo, o apresentador Fausto Silva conversava com o ginasta Diego Hypolito quando resolveu soltar o verbo contra o presidente Michel Temer.
E não faltou palavrão: "essa p@#*! mal começou e não sabe se comunicar, já faz a reforma sem consultar ninguém, num país que mais precisa de educação, e ainda tira a educação física que é fundamental", declarou, irritado, o jornalista.
Já o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso concedeu uma entrevista à jornalita Daniela Lima, na Folha de S.Paulo, na qual fez uma ameaça velada a Michel Temer, ao dizer que talvez ele não chegue a 2018. Veja aí entrevista à jornalista Daniela Lima,

A charge do dia

PF prende Palocci na 35ª fase da Operação Lava Jato

Do G1
O ex-ministro Antonio Palocci (PT) foi preso na 35ª fase da Operação Lava Jato, que foi deflagrada pela Polícia Federal (PF) na manhã desta segunda-feira (26). Ao todo, foram expedidos 45 mandados judiciais, sendo 27 de busca e apreensão, três de prisão temporária e 15 de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento e depois liberada. A operação ocorre em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal.
Antônio Palocci foi ministro da Casa Civil no governo Dilma Rousseff e ministro da Fazenda no governo Lula. A prisão dele foi pedida pela PF e acatada pela Justiça. O ex-ministro foi detido em apartamento na Alameda Itu, no bairro Jardins, em São Paulo, e será levado da PF na capital paulista para a carceragem da PF em Curitiba, no início da tarde. Os policiais também cumprem mandados na casa e no escritório do ex-ministro.
O advogado do petista, José Roberto Batochio, chamou a prisão de arbitrária e disse que não sabe quais são as acusações contra seu cliente.
Os outros dois presos são: o ex-secretário da Casa Civil Juscelino Antônio Dourado e Branislav Kontic, que atuou como assessor na campanha de Palocci em 2006. Eles também serão levados para Curitiba.
Suspeitas de propina
A 35ª fase apura a relação entre o Grupo Odebrechet e o ex-ministro Antonio Palocci. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), há evidências de que o Palocci e Branislav receberam propina para atuar em favor da empreiteira, entre 2006 e o final de 2013, interferindo em decisões tomadas pelo governo federal. O ex-ministro também teria participado de conversas sobre a compra de um terreno para a sede do Instituto Lula, que foi feita pela Odebrechet.
"Conforme planilha apreendida durante a operação, identificou-se que entre 2008 e o final de 2013, foram pagos mais de R$ 128 milhões ao PT e seus agentes, incluindo Palocci. Remanesceu, ainda, em outubro de 2013, um saldo de propina de R$ 70 milhões, valores estes que eram destinados também ao ex-ministro para que ele os gerisse no interesse do Partido dos Trabalhadores", diz o MPF.
As suspeitas sobre Palocci na Lava Jato surgiram na delação do ex-diretor de Abastecimento da PetrobrasPaulo Roberto Costa. Ele disse que, em 2010, o doleiro Alberto Youssef lhe pediu R$ 2 milhões da cota de propinas do PP para a campanha presidencial da ex-presidente Dilma Rousseff. O pedido teria sido feito por encomenda de Palocci. Youssef está preso na PF em Curitiba e já foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato.
O que diz o suspeito
O advogado de Palocci, José Roberto Batochio, disse que a Lava Jato "parece um espetáculo". “O show tem que continuar. O circo tem que continuar”, afirmou. Batochio também estranhou o fato de o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, ter anunciado no domingo (25) que haveria Lava Jato nesta semana.
“O fato de ele anunciar em um encontro do PSDB que haverá novas diligências não é estranho. Aécio [Neves] denunciado, Anastasia denunciado, Serra. Por que será [que anunciou no evento]?” Para Batochio, “as liberdades constitucionais foram sequestradas em Curitiba”. “Ninguém faz nada. Um silêncio absoluto”, disse.
"Não sabemos a acusação, pois ela é até o presente momento absolutamente secreta ao melhor estilo da ditadura militar. Você não sabe de nada, não sabe o que está sendo investigado, um belo dia batem à sua porta e o levam. De modo que nós estamos voltando ao velho tempo do autoritarismo, da arbitrariedade. Qual a necessidade de se prender uma pessoa que tem domicílio certo, que é médico, que foi duas vezes ministro, que pode dar todas as informações quando for intimado. É por causa do espetáculo?", questionou Batochio.
Ações em favor da Odebrecht
Segundo a PF, há indícios de uma relação criminosa entre o ex-ministro e a Odebrecht. "Há indícios de que o ex-ministro atuou de forma direta a propiciar vantagens econômicas ao grupo empresarial nas mais diversas áreas de contratação com o poder público, tendo sido ele próprio e personagens de seu grupo político beneficiados com vultosos valores ilícitos", diz a PF.
As investigações da PF e MPF apontam que Palocci e a Odebrechet negociaram:
- Esforços para aprovação para o projeto de lei de conversão da Medida Provisória 460/2009, que resultaria em benefícios fiscais para a empreiteira;
- Aumento da linha de crédito junto ao BNDES para Angola, país com o qual a empresa tinha relações comerciais;
- Interferência em licitações da Petrobras para aquisição de 21 navios sonda para exploração da camada pré-sal;
- Favorecimento de negócios envolvendo programa de desenvolvimento de submarino nuclear (Prosub).
Ainda conforme a PF, outro núcleo da investigação apura pagamentos efetuados pelo chamado “setor de Operações Estruturadas” da Odebrecht para diversos beneficiários que estão sendo alvos de mandados de busca e de condução coercitiva.
Planilha de propinas
De acordo com o MPF, a planilha apreendida mostra valores ilícitos repassados a Palocci tanto em período de campanha quando fora dele. A planilha era chama de “Posição Programa Especial Italiano” e usava, segundo investigados, o termo “italiano” como codinome para se referir ao ex-ministro.
"A análise das anotações registradas nesta planilha aponta para o fato de que grande parte dos valores utilizados para o pagamento das vantagens indevidas se originaram da Braskem, empresa petroquímica que possui diversos contratos com a Petrobras", diz o MPF.
O Ministério Público afirma que alguns dos valores registrados ainda precisam de maior apuração para identificar a quais fatos estão relacionados.
Terreno do Instituto Lula
"As provas até agora colhidas apontam que, além dos pagamentos realizados em favor de Monica Moura e João Santana [marqueiteiros de campanha] no interesse do Partido dos Trabalhadores, os subornos repassados a Antonio Palocci também envolveram a aquisição do terreno inicialmente destinado à construção da nova sede do Instituto Lula, referido na planilha pela rubrica “Prédio (IL)”, afirma o MPF. A empreiteira comprou o terreno avaliado em R$ 12 milhões, segundo laudo revelado em maio deste ano.
Investigadores dizem que Antonio Palocci participou de reunião com Marcelo Odebrecht e Roberto Teixeira, e recebeu, por intermédio de Branislav Kontic, documentos encaminhados via e-mail pelo presidente do grupo empresarial, relacionados à compra do terreno (em mensagens sob o título “Prédio Institucional”, “Prédio do Instituto” e planilha intitulada “Edificio.docx”).
Outra prova analisada, segundo o MPF, se refere à minuta de contrato do terreno encontrada no sítio usado pelo ex-presidente Lula, em que constava o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula, como o comprador, e representado por Roberto Teixeira. Em depoimento, Bumlai afirmou que se recusou a figurar como comprador do imóvel, tendo sido, de fato, identificado que a compra se deu em favor de pessoas vinculadas à Odebrecht.
Operação Omertà
Segundo a PF, o nome desta fase da Lava Jato, Omertà, é uma referência a um código de honra da máfia italiana, que fazia um voto de silêncio perante autoridades. A polícia diz que o silêncio imperava no Grupo Odebrecht e foi quebrado por integrantes do setor de operações estruturadas, o que permitiu o aprofundamento das investigações.
Além disso, o nome remete à postura atual do comando da empresa, que se mostra "relutante em assumir e descrever os crimes praticados".

Ensino médio: português e matemática serão únicas obrigatórias; veja o que muda

Português e matemática serão os dois únicos componentes curriculares obrigatórios nos três anos do ensino médio, de acordo com o novo modelo para a etapa anunciado hoje (22) pelo governo. A definição está em medida provisória (MP) assinada pelo presidente Michel Temer. Atualmente, a etapa tem 13 disciplinas obrigatórias para os três anos.

A MP prevê a flexibilização do ensino médio com o objetivo de torná-lo mais atraente para o jovem, segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho. Os componentes curriculares que deverão ser ensinados no período obrigatoriamente serão definidos na Base Nacional Comum Curricular, que começará a ser discutida no próximo mês e deverá ser definida até meados do ano que vem, segundo o Ministério da Educação.

De acordo com a medida provisória, cerca de 1,2 mil horas, metade do tempo total do ensino médio, serão destinadas ao conteúdo obrigatório definido pela Base Nacional. No restante da formação, os alunos poderão escolher seguir cinco trajetórias: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas – modelo usado também na divisão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – e formação técnica e profissional.

“O novo ensino médio tem como pressuposto principal o protagonismo do jovem. Hoje é bastante engessado. Esse modelo caminha na direção da flexibilidade”, disse Mendonça Filho.

Arte e Educação Física

O texto, que modifica a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394/1996), determina o fim da obrigatoriedade do ensino de arte e de educação física no ensino médio. As disciplinas serão obrigatórias apenas no ensino infantil e fundamental.

As mudanças passarão a valer 180 dias após a publicação da Base Nacional, ou seja, não modificam o atual currículo. De acordo com o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação, Rossieli Silva, a intenção é enxugar na lei as obrigatoriedades do ensino médio. “Agora a Base Nacional tem que dizer o que é e o que não é obrigatório nesse um ano e meio. Se eu vou definir ênfases, como eu posso ter todos os conteúdos do mundo? Se eu digo que os 13 conteúdos são obrigatórios?”, questionou.

Segundo Silva, artes e educação física, assim como conteúdos como filosofia e sociologia certamente estarão garantidos na Base Nacional Curricular Comum e poderão voltar a ser obrigatórios.

Fonte: Agência Brasil